Blended-learning ASSB I - Endodontia

Ir em baixo

Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Admin em Qua Jun 15, 2016 10:52 pm

Nessa primeira tarefa, iremos discutir o momento ideal para obturação do sistema de canis radiculares.
Para isso é preciso que você:
Leia o artigo: “Princípios biológicos do tratamento endodôntico de dentes com polpa necrosada e lesão perirradicular” e “Necrose pulpar: tratamento em sessão única ou múltipla?


Agora que você já leu os textos aponte quais fatores devem ser avaliados para a tomada de decisão clínica de obturação de canais radiculares biomecanizados e nos relate qual sua opinião formada sobre este tema, justificando sua decisão: Very Happy http://illiweb.com/fa/i/smiles/icon_biggrin.png
Very Happy

Admin
Admin

Mensagens : 2
Data de inscrição : 15/06/2016

Ver perfil do usuário http://assb1endodontia.directorioforuns.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

resposta

Mensagem por Mateus Leão 6° Periodo em Sab Jun 18, 2016 1:33 pm

O momento ideal para obturação dos canais radiculares biomecanizados é quando há redução drástica da infecção de modo que permita a obturação através dos processos de abertura coronária ,instrumentação dos canais e irrigação correta, o selamento através do curativo de demora e a medicação intracanal fidedigna com o caso. Depois disso só manter o ambiente estável construído antes pelos processos anteriores, para reparação através da obturação.
Pra mim a obturação dos canais radiculares biomecanizados se faz necessária para qualquer caso de infecções perirradiculares onde haja a possibilidade de se conservar o elemento dental e principalmente reinfecção já que ela vai manter o ambiente ideal para a reparação. sendo assim ela vai ser responsável pela eliminação dos espaços vazios e nichos de infecção.

Mateus Leão 6° Periodo
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Jardel Jorge Santos em Sab Jun 18, 2016 7:28 pm

A obturação dos canais radiculares deve ser realizado a partir do momento que o CD tenha conseguido reduzir contundentemente os níveis bacterianos ali presentes, dispondo de técnicas de instrumentação químico-mecânica com limas e substâncias bactericidas/bacteriostáticas e fazendo uso de medicação intracanal caso necessário. Um ponto que deve ser exaltado seria o tipo de alteração endodôntica, pois no caso de pulpite irreversível onde a polpa dental não apresenta contaminação bacteriana a obturação pode ser realizada na mesma seção a depender da capacidade do profissional; Já para os casos de necrose pulpar ou retratamento é indicado que sejam realizados sessões ulteriores, pois uma vez contaminado é necessário o uso de medicação naquele canal. Isso corrobora com a ideia de que não há uma máxima sobre a obturação, variando de caso-a-caso, pesando também o conhecimento técnico-cientifico do cirurgião dentista. Very Happy

Jardel Jorge Santos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 18/06/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem por Mayara Campos em Dom Jun 19, 2016 3:21 am

Para uma correta tomada de decisão clínica, deve ser observado se o canal radicular está bem instrumentado, não havendo restos de polpa necrótica ou vital, e se há presença de lesão periapical. Na minha opinião, em caso de dentes com necrose pulpar, a obturação deve ser feita em duas sessões. Considerando a anatomia do canal e o grande número de bactérias presentes, mesmo fazendo uma boa instrumentação e irrigação, há espaços onde a solução irrigadora e os instrumentais não chegarão, o que pode ocasionar uma nova infecção bacteriana. Por permanecer por tempo mais prolongado no interior do canal radicular, um medicamento intracanal dotado de ação antibacteriana tem maiores chances de atingir áreas não afetadas pela instrumentação do canal. Com base em alguns estudos relatados na literatura, o tratamento endodôntico realizado em duas sessões apresenta melhores resultados quanto à eliminação dos microrganismos causadores da infecção dentro do canal radicular, visto que os materiais obturadores têm como função principal preencher o espaço vazio que é propício de reinfecção, devendo-se, antes de obturar e concluir o tratamento endodôntico, colocar a medicação intracanal e deixa-la agir dentro do conduto.

Mayara Campos
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Feedback

Mensagem por Paulo Reis em Dom Jun 19, 2016 4:05 pm

Muito bom!
Parabéns Jardel, Mateus e Mayara! Vcs Gostariam de comentar as respostas dos colegas?

Paulo Reis
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Felipe Sena em Dom Jun 19, 2016 4:45 pm

É de extrema importância para o tratamento endodôntico que antes da obturação dos canais realize-se um bom da controle da infecção, para que haja o reparo das estruturas perirradiculares e o restabelecimento da função dentária normal e da saúde bucal. A obturação dos canais deve ser realizada no memento em que o Cirurgião Dentista verificar que realizou corretamente as duas primeiras etapas do Controle da infecção: Preparo químico-mecânico e Medicação intracanal. É importante também para o Cirurgião Dentista saber escolher entre obturar os canais na mesma sessão do tratamento ou em uma próxima sessão. A primeira opção apresenta algumas vantagens: o tempo gasto é menor, causa menos dor ao paciente e previne a contaminação ou a recontaminação que pode ocorrer entre as sessões de tratamento. Já a segunda é necessária em alguns casos, por exemplo, quando há infecção já estabelecida, é necessário o uso de medicação a longo prazo. Logo, concluímos que o momento da obturação dos canais depende de cada caso, não havendo um protocolo único para ser seguido. Devemos analisar o tempo gasto, a dor pós-operatória e as questões biológicas ou microbiológicas envolvidas no tratamento. Cabe ao profissional a escolha da estratégia a ser seguida, sempre visando o objetivo principal: o sucesso no tratamento.

Felipe Sena

Mensagens : 1
Data de inscrição : 19/06/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Gabriel C. Arcoverde em Dom Jun 19, 2016 7:20 pm

A decisão de obturar os canais radiculares em sessão única ou em mais de uma depende do caso. Independente da decisão, é necessário ter a certeza que o controle químico-mecânico foi realizado corretamente, para diminuir as chances de uma infecção do ápice/periodonto.
Embora a literatura relate que a obturação dos canais em mais de uma sessão seja mais efetiva e com melhor chance de sucesso, cabe ao cirurgião decidir se compensa expor o paciente a todo o processo novamente. São muitas variáveis. Paciente com disfunções sistêmicas/extremamente ansiosos sendo expostos a anestesias por exemplo: Faz-se necessário avaliar se uma sessão resolverá o problema com boas chances de sucesso e tentar expor o mesmo a menos invasão.

Gabriel C. Arcoverde
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Cinara Taís Noronha em Dom Jun 19, 2016 9:33 pm

O tratamento endodôntico busca promover a limpeza e correta obturação de canais que estão contaminados, associados ou não á lesões perirradiculares. A principal diferença entre canais em condições clínicas primárias e os casos que necessitam de retratamento ou estão necróticos é a presença de infecção. Siqueira Junior, preconiza sessão única para dentes polpados e duas sessões com pasta de hidróxido de cálcio para canais infectados (necrose ou em casos de retratamento). Na prática clínica, é importante que o cirurgião dentista saiba avaliar as vantagens e desvantagens para realização do tratamento endodôntico em sessão única ou dupla, avaliando as peculiaridades de cada paciente, do elemento dentário e suas condições para uma efetiva obturação, realizando um eficiente controle químico/mecânico diminuindo as chances de infecção e reinfecção.

Cinara Taís Noronha
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

RESPOSTA

Mensagem por MARIA EDUARDA em Seg Jun 20, 2016 12:20 am

Com o controle da infecção endodôntica bem realizados por meio de instrumentação quimico-mecânica a obturação dos canais radiculares devem ser realizada. Existe uma controversa sobre a quantidade de sessões que devem ser realizadas para a obturação dos canais. Leonardo (1998) acredita que nos tratamentos em que a polpa está morta e que não há como obturar, deve-se colocar medicação intra-canal para evitar uma nova contaminação. Quando a polpa se encontra viva, Siqueira (2012) diz que a obturação deve ser feita em única sessão.

MARIA EDUARDA
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Brenna Sá em Seg Jun 20, 2016 1:04 am

Os Canais radiculares contendo polpa necrosada e quando a lesão já atingiu a região do periápice, é um problema infeccioso e devem ser tratados de forma diferenciada dos dentes com polpa viva (livre de infecção).O sucesso do tratamento endodôntico nestes casos vai depender do controle da infecção exercido pelo preparo químico-mecânico, medicação intracanal e obturação dos canais.

Brenna Sá
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Fernando Vaz em Seg Jun 20, 2016 1:57 am

As bactérias conseguem sobreviver a instrumentação intracanal em cerca de 40 a 60% dos casos, muitas delas morrerão com a obturação com material antibacteriano, porém algumas delas ainda resistem. Se essas bactérias estiverem em locais anatômicos inacessíveis acabam por comprometer todo o tratamento endodôntico, a principal medida para combater essas bactérias é o uso de medicação intracanal com algumas substâncias.

Fernando Vaz
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem por Maria Helena Moreira em Seg Jun 20, 2016 2:04 am

Uma das vias para obter sucesso no tratamento endodôntico é iniciar a obturação do canal apenas após uma instrumentação radicular bem executada, eliminando os riscos de infecção e contaminação. Embora alguns estudos digam que não há diferença entre sessões múltiplas ou única no sucesso do tratamento endodôntico, Silva et al. (2013) comentam que visando o tempo (de trabalho gasto pelo profissional e de procedimento para o paciente), a dor pós-operatória e as questões do tratamento propriamente ditas, o tratamento endodôntico – sempre que possível – deve ser realizado em uma única sessão. Nos casos de necrose pulpar associada à doença perirradicular, o mais indicado seria o uso da medicação intra-canal, assim sendo, acredito que nestes casos deve-se realizar o tratamento em mais de uma sessão, para que se tenha uma maior segurança no que concerne à infecção bacteriana. What a Face

Maria Helena Moreira
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Allan Martins em Seg Jun 20, 2016 2:17 am

A obturação do sistema de canais radiculares só deve ser realizada após o controle e máxima redução da contaminação microbiana por meio do preparo químico-cirúrgico. A decisão do momento ideal para a obturação dos canais depende de fatores que variam em cada caso. Acredito que em casos de biopulpectomia o tratamento em sessão única é mais viável, pois, apesar de inflamados, os tecidos pulpares ainda apresentam resposta imunológica que controla a disseminação bacteriana no canal radicular. No entanto, nos casos de necropulpectomia, é mais prudente que o profissional lance mão do tratamento em múltiplas sessões, de acordo com sua habilidade e com a anatomia do canal em questão. Nestes casos, a contaminação disseminada no sistema de canais radiculares, muitas vezes já com acometimento da região do periápice, dificulta de maneira geral o controle microbiano neste ambiente e, consequentemente, compromete o sucesso em longo prazo do tratamento endodôntico.

Allan Martins
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia / Correção

Mensagem por Allan Martins em Seg Jun 20, 2016 2:21 am

Nestes casos, a contaminação disseminada no sistema de canais radiculares, muitas vezes já com acometimento da região do periápice, dificulta de maneira geral o controle microbiano neste ambiente e, consequentemente, compromete o sucesso em longo prazo do tratamento endodôntico. pode comprometer o sucesso em longo prazo do tratamento endodôntico caso seja realizada a obturação em sessão única. Laughing

Allan Martins
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem por Ana Maria Ipólito em Seg Jun 20, 2016 3:55 am

O momento clínico ideal para a obturação do sistema de canais radiculares depende de fatores como a condição pulpar (necro ou biopulpectomia), do tempo clínico disponível, da habilidade do operador e da anatomia do canal. O tratamento em sessão única tem maior taxa de sucesso nos casos de biopulpectomia quando comparado aos casos de necropulpectomia, provavelmente devido ao maior grau de contaminação presente nos tecidos pulpares e, eventualmente, nos tecidos periapicais nos casos de necrose da polpa. Assim, é mais indicado que os tratamentos endodônticos onde foi feita a necropulpectomia sejam realizados em mais de uma sessão.

Ana Maria Ipólito
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem por Raquel Aragão em Seg Jun 20, 2016 4:09 am

Existem muitas controvérsias em relação ao tratamento endodôntico em sessão única ou em múltiplas sessões. Nos casos de necropulpectomia, onde a polpa está necrosada e existe um nível maior de comprometimento dos tecidos por microorganismos patogênicos, é preferível que seja feito o tratamento em múltiplas sessões, pois os trabalhos científicos têm mostrado um melhor resultado a longo prazo da terapia endodôntica. Nos casos de biopulpectomia pode-se optar pelo tratamento em sessão única, pois é mais fácil para conseguir uma redução da contaminação do conduto suficiente para realizar a obturação do canal sem prejuízos para o sucesso do tratamento.

Raquel Aragão
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Lídia Soares Teixeira em Seg Jun 20, 2016 4:37 am

O objetivo de se obturar em uma mesma sessão é conseguir um controle da infecção através da modelagem e preparo dos canais sem ter o risco de contaminação entre sessões. Isto é, se houve tempo e condições de realizar o preparo completo do canal, com a devida limpeza e modelagem, deve-se obturar pois esse é o melhor momento de uma obturação de canal, ou seja, quando se tem o controle da infecção. A medicação vai apenas manter o meio descontaminado que foi obtido pela limpeza e desinfecção.O controle da infecção é atingido durante o preparo do sistema de canais radiculares com ação conjunta de instrumentos e substâncias químicas auxiliares de alto poder bactericida,  seguidos por uma eficiente e constante irrigação com solução fisiológica, com ação na remoção dos restos de dentina, por exemplo, promovidos durante o preparo, conduzindo dessa maneira para a etapa final. Devido a isso podemos concluir que a medicação intracanal é uma boa opção caso o profissional não tenha tido tempo suficiente de concluir em apenas uma sessão. Caso tenha-se conseguido atingir a completa modelagem e preparo dos canais na primeira consulta, obtendo-se o controle da infecção, esse sim é o momento ideal da obturação. Cool

Lídia Soares Teixeira
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por OLGA NOVAES em Ter Jun 21, 2016 3:09 pm

O tratamento endodôntico previne ou controla a infecção e ele pode ser realizado e uma única sessão ou em múltiplas. Essa decisão vai depender muito da habilidade do profissional, as condições anatômicas, o material disponível.  Em uma sessão é indicado mais em casos que o dente for polpado para se prevenir de uma contaminação que ocorre de uma sessão para outra. Já no caso de dentes com polpas necrosadas se indica o tratamento em mais de uma sessão.

OLGA NOVAES

Mensagens : 1
Data de inscrição : 20/06/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Blended-learning ASSB I - Endodontia

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum